MÚLTIPLOS BACKGROUNDS (CSS3 – HTML5)


Quem nunca teve que criar um background onde havia um gradiente em cima, embaixo e dos lados? Você sabe que para criar algo parecido você não pode utilizar uma imagem só. A solução até hoje seria criar 4 elementos divs aninhados (ou seja, um dentro do outro) e aplicar um pedaço deste background em cada um destes elementos para dar a sensação de um background único. O resultado é interessante mas o meio que isso é feito não é nada bonito. Você era obrigado a declarar 4 elementos “inúteis“ no seu HTML apenas para compensar um efeito visual. A possibilidade de atribuirmos múltiplos backgrounds em apenas um elemento é a feature que vai ajudá-lo a não sujar seu código.
A sintaxe para múltiplos backgrounds é praticamente idêntica a sintaxe para definir um background. Segue abaixo um exemplo:

div {
width:600px;
height:500px;
background:
url(img1.png) top left repeat-X,
url(img2.png) bottom left repeat-Y;
}

Definimos apenas uma propriedade background, o valor dessa propriedade em vez de conter apenas um valor como normalmente fazemos, poderá haver vários, com suas respectivas definições de posição, repeat e attachment (fixed).

Anúncios

Utilizando os principais recursos da linguagem SQL–parte 3


Para finalizar nossa série sobre os principais recursos de manipulação de dados da linguagem SQL, iremos agora tratar das seguintes funções:

 

COUNT

Como o prórpio nome diz, ela conta o número de registros de uma determinada tabela (com ou sem condicionais):

— Sintaxe

SELECT COUNT (<campo>) FROM <tabela>

— Exemplo

SELECT COUNT (nome) FROM Clientes WHERE idade > 18;

MAX

Retorna o maior valor de uma determinada coluna. Continue lendo “Utilizando os principais recursos da linguagem SQL–parte 3”

Estabilidade e continuidade em conexões 3G e wi-fi usando o "ping"


Existe uma solução muito simples para este problema: basta impedir que a placa ou modem entre em modo de economia de energia, mantendo a conexão sempre ativa. A forma mais simples de fazer isso é usar o comando “ping” para enviar pacotes para um endereço qualquer a cada 15 segundos. Abra um terminal e rode o comando:
$ ping -i 15 google.com (o google.com pode ser substituído por outro endereço qualquer)
Para que ele seja executado automaticamente durante o boot, resolvendo o problema definitivamente, use os dois comandos abaixo, que criam um script dentro da pasta /etc/rc5.d:
# echo ‘ping -i 15 google.com &’ > /etc/rc5.d/S99ping
# chmod +x /etc/rc5.d/S99ping

Para Fazer isso no Windows, vá  em Iniciar>Executar>cmd. Na tela preta que aparece, digite ping http://www.google.com.br -t, usando o ctrl+c para parar.

Mantendo o ping ativo, a conexão se torna bastante estável, mesmo ao conectar em redes com encriptação WPA. Você pode deixar o pc ou note ligado durante vários dias, mesmo sem usar a rede e a conexão se mantém aberta, pronta para usar.
O único inconveniente é que manter a placa ativa o tempo todo causa um pequeno aumento no consumo, reduzindo a autonomia das baterias em cerca de 10 minutos.

BORDAS EM CSS3


Definir imagem para as bordas é uma daquelas propriedades da CSS que você se pergunta como vivíamos antes de conhece-lá. É muito mais fácil entender testando na prática, por isso sugiro que se você estiver perto de um computador, faça testes enquanto lê este texto. A explicação pode não ser suficiente em algumas partes, mas a prática irá ajuda-lo a entender.
Esta propriedade ainda está em fase de testes pelos browsers, por isso utilizaremos os prefixos para ver os resultados.Utilizarei apenas o prefixo do Safari, mas o Firefox já entende essa propriedade muito bem.
A sintaxe do border-image se divide em três partes: 1) URL da imagem que será utilizada. 2) Tamanho do slice das bordas. 3) Como o browser irá aplicar a imagem na borda.
Segue um exemplo da sintaxe abaixo:

a {
display:block;
width:100px;
-webkit-border-image: url(border.gif) 10 10 10 10 stretch;
}

Continue lendo “BORDAS EM CSS3”

Utilizando os principais recursos da linguagem SQL–parte 2


Em continuação da nossa série sobre SQL, iniciada no post anterior, iremos agora falar sobre os operadores auxiliares do SQL:

LIKE

A instrução LIKE é utilizada como condição no comando WHERE para especificar um critério baseado em um conjunto de caracteres que pode ocorrer em um campo que possui esse conjunto de caracteres como parte de seu conteúdo. Exemplos Continue lendo “Utilizando os principais recursos da linguagem SQL–parte 2”

Utilizando os principais recursos da linguagem SQL–parte 1


Neste série de posts irei mostrar a sintaxe e na medida do possível exemplos da utilização de cada uma das principais funções disponíveis na linguagem SQL (Structured Query Language – Linguagem de Consulta Estruturada ) . Iremos começar com a função mais simples de consulta, passando para as mais complexas. Continue lendo “Utilizando os principais recursos da linguagem SQL–parte 1”

TRANSIÇÕES E ANIMAÇÕES EM CSS3


Durante muito tempo o CSS só serviu para pintar quadradinhos e mais nada. Desde quando o pessoal do WaSP organizou todo o movimento dos Padrões Web fazendo com que todos os desenvolvedores, fabricantes de browsers e até mesmo o W3C acreditassem no poder dos padrões não houve grandes atualizações no CSS. Praticamente formatávamos font, background, cor, tamanhos e medidas de distância e posição.
A propriedade transition, a regra keyframe e outras propriedades vieram vitaminar a função que o CSS tem perante o HTML acrescentando maneiras de produzirmos animações e transições. Não estou dizendo que você fará animações complicadas, com diversos detalhes técnicos e etc. Para esse tipo de resultado existem outras ferramentas, incluindo Canvas e SVG, que com certeza farão um trabalho melhor com menos esforço. Mas é fato que as animações via CSS nos ajudará a levar a experiência do usuário para outro patamar. Continue lendo “TRANSIÇÕES E ANIMAÇÕES EM CSS3”