Como instalar o CyanogenMod no Moto G


O artigo explica como instalar o CyanogenMod, uma versão não-oficial do Android (mais atualizada que a versão de fábrica) no aparelho Moto G. O procedimento descrito é compatível com os seguintes versões de aparelhos: XT1031, XT1032, XT1033 e XT1034 e também os de 2ª geração.

Perco a garantia do aparelho ao instalar o Cyanogenmod?

Sim, pois o processo exige o desbloqueio do aparelho.

Quais os riscos existentes ao instalar o Cyanogenmod?

Trata-se de um processo que pode danificar o aparelho e deixá-lo “bricado”, mas só se você fizer algo realmente estranho e diferente do procedimento. Além disso, você perderá todos os dados do aparelho, seus arquivos pessoais, músicas etc. O aparelho será zerado. Fazer backup é importante.

O processo é reversível?

Sim, mas não será abordado neste artigo.

Se algo der errado durante o procedimento, quem eu devo processar ou xingar?

Ninguém. O risco é todo seu. Não há garantias por parte da equipe do CyanogenMod e nem por parte do autor desse artigo.

Nota de esclarecimento do Cyanogenmod:

“Modifying or replacing your device’s software may void your device’s warranty, lead to data loss, hair loss, financial loss, privacy loss, security breaches, or other damage, and therefore must be done entirely at your own risk. No one affiliated with the CyanogenMod project is responsible for your actions. Good luck.”

Tradução livre:

“Modificar ou substituir o software do seu dispositivo pode anular a garantia do dispositivo, levar à perda de dados, perda de cabelo, perda financeira, perda de privacidade, violações de segurança ou outros danos e, portanto, deve ser feito inteiramente por sua conta e risco. Ninguém afiliado com o projeto CyanogenMod é responsável por suas ações. Boa sorte.”

Este artigo foi feito usando:

  • Moto G 2013 (1ª geração)
  • Ubuntu 15.04

E terminou com a instalação do Android 5.1.1 (CM 12.1).

Resumo do procedimento para instalar o CyanogenMod:

  1. Desbloquear o bootloader;
  2. Instalar programa de “recovery” usando o fastboot;
  3. Instalar do CyanogenMod a partir do “recovery”.

Continue lendo “Como instalar o CyanogenMod no Moto G”

Anúncios

Programação orientada a objetos no ActionScript


Este post descreve os elementos do ActionScript que oferecem suporte à OOP (Programação orientada a objetos).
O capítulo não descreve princípios de OOP gerais, como design de objeto, abstração, encapsulamento, herança e
polimorfismo. Ele se concentra em como aplicar esses princípios usando o ActionScript 3.0.
Devido a raízes do ActionScript como uma linguagem de script, o suporte ao OOP do ActionScript 3.0 é opcional. Isso
fornece aos programadores flexibilidade para escolherem a melhor abordagem para projetos de vários escopos e
complexidades. Para tarefas pequenas, você pode chegar à conclusão de que usar o ActionScript com um paradigma
de programação de procedimento é tudo o que você precisa. Para projetos maiores, aplicar princípios de OOP pode
fazer com que o código fique mais fácil de ser compreendido, mantido e estendido. Continue lendo “Programação orientada a objetos no ActionScript”

Introdução ao ActionScript 3.0


Vantagens do ActionScript 3.0
O ActionScript 3.0 vai além dos recursos de script de suas versões anteriores. Ele foi criado para facilitar a criação de
aplicativos altamente complexos com grandes conjuntos de dados e bases de código reutilizáveis orientadas a objetos.
Embora o ActionScript 3.0 não seja necessário para o conteúdo executado no Adobe Flash Player, ele permite
melhorias de desempenho que só estão disponíveis com a AVM2, a nova máquina virtual. O código do ActionScript
3.0 pode ser executado até 10 vezes mais rápido do que o código do ActionScript existente.
A versão antiga da AVM1 (ActionScript Virtual Machine) executa os códigos ActionScript 1.0 e ActionScript 2.0. As
versões 9 e 10 do Flash Player oferecem suporte a AVM1 para compatibilidade com conteúdo existente e herdado de
versões anteriores. Continue lendo “Introdução ao ActionScript 3.0”

Linguagem e sintaxe do ActionScript – Parte 1


O ActionScript 3.0 consiste na linguagem central do ActionScript e na API (Application Programming Interface) do Adobe Flash Player. A linguagem principal é a parte do ActionScript que define a sintaxe da linguagem, assim como os tipos de dados de nível superior. O ActionScript 3.0 oferece acesso programático ao Flash Player.
Este post apresenta uma breve instrução à linguagem e sintaxe centrais do ActionScript. Depois de lê-lo, você terá uma noção básica de como trabalhar com tipos de dados e variáveis, como usar a sintaxe apropriada e como controlar o fluxo de dados no seu programa. Continue lendo “Linguagem e sintaxe do ActionScript – Parte 1”

Introdução do ActionScript


Olá galera, hoje darei continuação ao tutorial de actionscript, começandocom um pouco de fundamento da programação;

Fundamentos de programação

Como o ActionScript é uma linguagem de programação, para conhecê-lo, primeiro é necessário compreender alguns conceitos gerais de programação de computador. Continue lendo “Introdução do ActionScript”

Introdução do ActionScript 3.0


Olá galera, hoje vou começar com alguns posts de actionscript 3.0, espero que lhes sejam úteis.

O ActionScript é a linguagem de programação dos ambientes de tempo de execução Adobe® Flash® Player e Adobe® AIR™.
Ele permite interatividade, manipulação de dados e muito mais no conteúdo e nos aplicativos do Flash, Flex e AIR.
O ActionScript é executado com a AVM (ActionScript Virtual Machine), que faz parte do Flash Player e do AIR. O
código do ActionScript em geral é compilado no formato de código de bytes (um tipo de linguagem de programação
escrita e entendida por computadores) por um compilador, como o criado no Adobe® Flash® CS4 Professional ou no
Adobe® Flex™ Builder™ ou como o disponível no Adobe® Flex™ SDK. O código de bytes é incorporado aos arquivos
SWF, que são executados pelo Flash Player e pelo AIR. Continue lendo “Introdução do ActionScript 3.0”