Kim Dotcom poderá voltar a utilizar a Internet


Kim Dotcom,  dono do site de  compartilhamento de arquivos Megaupload,  que foi fechado no início do ano pelo FBI devido a suspeita de um esquema de pirataria, teve o direito de acessar a internet liberado pelo juiz David Harvey nesta segunda-feira (02/04) devido ao comportamento do empresário ser “exemplar” . Juntamente ao direito de acesso à internet, Dotcom também recebeu o direito de nadar em sua piscina uma vez ao dia e viajar duas vezes por semana para um estúdio, gravar músicas e encontrar uma vez por semana com outros executivos do Megaupload que são acusados no caso de pirataria. Pois em agosto deste ano, eles devem enfrentar uma audiência envolvendo sua possível extradição para os Estados Unidos.

 

Fonte: G1

Dotcom segue preso, outros dois envolvidos são liberados


Os executivos Finn Batato e Bram van der Kolk foram soltos após pagarem fiança

Nesta quinta-feira (26), dois executivos do Megaupload foram liberados depois de pagar fianças à justiça da Nova Zelândia. Porém, Kim Dotcom, o fundador do site, segue preso.

Para o juiz David McNaughton, responsável pelo caso, o alemão Finn Batato e o holandês Bram van der Kolk puderam ser liberados pois não representarvam o mesmo risco que Dotcom. Segundo as autoridades, se Kim fosse solto, poderia fugir a qualquer momento com o auxílio dos inúmeros documentos falsos que possui.

De acordo com o juiz, Dotcom deve permanecer na cadeia pelo menos até o dia 22 de fevereiro, quando novamente será examinado o pedido de extradição dos Estados Unidos. O fechamento do site e a prisão de seus responsáveis tem gerado consequências para diversos serviços online.

Fonte: Superdownloads

Megaupload é desativado e funcionários são indiciados por pirataria


Decisão foi tomada no estado da Virgínia e site é acusado de violar leis de direito autoral.

Procuradores federais do estado da Virgínia acabam de fechar um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do mundo, o Megaupload, nesta quinta-feira (19), sob a acusação de que a empresa viola as leis de direito autoral.

Segundo o The WallStreet Journal, sete funcionários foram presos nos Estados Unidos, quatro na Nova Zelândia e um na Austrália. Além da acusação de infingir as leis de direito autoral, o site também está sendo apontado como uma suposta fonte de lavagem de dinheiro.

A ação acontece apenas um dia após uma série de protestos contra o SOPA, projeto de lei que pode colocar em risco a liberdade de expressão na internet. O Megaupload é um dos 15 sites mais populares do mundo. Em nota à Associated Press, um representante da página se limitou a dizer que “a grande maioria do tráfego do Megaupload é legítimo e se a indústria de conteúdo quer tirar vantagem da nossa popularidade, teremos o maior prazer em dialogar”.