Megaupload voltará em breve, segundo Kim Dotcom


O site Megaupload, que foi fechado em janeiro, ira voltar ao ar em breve, muito maior, melhor e mais rápido, segundo Kim Dotcom, em seu Twitter:
“SOPA está morto. PIPA está morto. ACTA está morto. MEGA vai voltar. Maior. Melhor. Mais rápido. Livre de taxas e preparado contra ataques. Evolução!”, diz.

A mensagem foi publicada em comemoração ao fim do SOPA, do PIPA e do ACTA. Todos os três eram projetos de lei que tinham o objetivo de acabar com a pirataria na internet e aumentar o controle de dados dos usuários.

Agora só falta esperar ansiosamente!

Anúncios

Companhia de hospedagem quer apagar 25 petabytes pertencentes ao Megaupload


Segundo a empresa Carpathia, são necessários US$ 9 mil diários para manter intactos os dados armazenados.

Após os investigadores do caso Megaupload terem coletado os dados de que precisavam, a empresa responsável por manter os arquivos do site no ar está ameaçando deletar todo esse conteúdo. A Carpathia pretende apagar aproximadamente 25 petabytes (25 milhões de gigabytes) correspondentes aos arquivos enviados pelos usuários do serviço. Continue lendo “Companhia de hospedagem quer apagar 25 petabytes pertencentes ao Megaupload”

Fundador do Megaupload receberá R$ 89 mil por mês


Além disso, Kim Dotcom terá a sua Mercedes de volta.

A justiça da Nova Zelândia tomou uma decisão favorável a Kim Dotcom, fundador do site Megaupload. Solto mediante fiança depois de passar um mês preso, Kim teve as suas contas bloqueadas e havia solicitado à justiça a liberação de parte dos seus rendimentos.De acordo com a nova decisão, Dotcom receberá US$ 60 mil mensais para as suas despesas (cerca de R$ 89 mil), além de ter o direito de dirigir o seu automóvel Mercedes outra vez. No total, foram bloqueados pelo menos R$ 15,6 milhões em bens de Kim Dotcom.

Segundo o pedido solicitado pelo milionário, o dinheiro será destinado ao pagamento da babá dos seus três filhos, dos guarda-costas e demais funcionários da casa, além de despesas com telefone, luz e mantimentos. Kim Dotcom está proibido de usar a internet e, na porta de sua casa, uma placa solicita que os visitantes deixem do lado de fora qualquer tipo de aparelho eletrônico com conexão à web.

Dono do Megaupload pode ter seus bens devolvidos devido a erro policial


No começo deste ano, o Megaupload, um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos, foi fechado sob a acusação de que a empresa viola as leis de direito autoral e de que servia para lavagem de dinheiro. Além disso, Kim “Dotcom” Schmitz, o dono do serviço, teve as suas contas bancárias (cheias de dinheiro, diga-se de passagem) congeladas pela Justiça da Nova Zelândia – levando o ex-milionário excêntrico a pedir dinheiro para manter a sua mansão.

Contudo, de acordo com o jornal The New Zeland Herald, o magnata endividado pode ter seus bens devolvidos devido a erros processuais da polícia. Segundo a publicação, durante a apreensão das posses de Dotcom, alguns requerimentos para a liberação da ação policial foram preenchidos erroneamente.

Basicamente, a polícia pediu a permissão do tribunal de justiça para fazer algo que já haviam feito. Além disso, o comissário Peter Marshall e alguns assessores jurídicos do governo dos EUA teriam emitido uma ordem de prisão baseada em um estatuto legal que não se aplicava ao caso em questão, não oferecendo a oportunidade de defesa por parte de Kim Schmitz.

A justiça havia identificado o erro no final de janeiro, alguns dias após a prisão do acusado, sendo emitida uma nova ordem de apreensão em caráter temporário. Porém, com base nesses erros, a juíza Judith Potter se viu obrigada a declarar a cautelar anterior nula e sem efeito, ou seja, Dotcom pode reaver os seus bens e fundos financeiros.

Enquanto os representantes do governo buscam uma forma de manter a apreensão já efetuada, os advogados do dono do Megaupload correm para recuperar tudo aquilo que seu cliente teve confiscado.

Dotcom segue preso, outros dois envolvidos são liberados


Os executivos Finn Batato e Bram van der Kolk foram soltos após pagarem fiança

Nesta quinta-feira (26), dois executivos do Megaupload foram liberados depois de pagar fianças à justiça da Nova Zelândia. Porém, Kim Dotcom, o fundador do site, segue preso.

Para o juiz David McNaughton, responsável pelo caso, o alemão Finn Batato e o holandês Bram van der Kolk puderam ser liberados pois não representarvam o mesmo risco que Dotcom. Segundo as autoridades, se Kim fosse solto, poderia fugir a qualquer momento com o auxílio dos inúmeros documentos falsos que possui.

De acordo com o juiz, Dotcom deve permanecer na cadeia pelo menos até o dia 22 de fevereiro, quando novamente será examinado o pedido de extradição dos Estados Unidos. O fechamento do site e a prisão de seus responsáveis tem gerado consequências para diversos serviços online.

Fonte: Superdownloads

Megaupload é desativado e funcionários são indiciados por pirataria


Decisão foi tomada no estado da Virgínia e site é acusado de violar leis de direito autoral.

Procuradores federais do estado da Virgínia acabam de fechar um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do mundo, o Megaupload, nesta quinta-feira (19), sob a acusação de que a empresa viola as leis de direito autoral.

Segundo o The WallStreet Journal, sete funcionários foram presos nos Estados Unidos, quatro na Nova Zelândia e um na Austrália. Além da acusação de infingir as leis de direito autoral, o site também está sendo apontado como uma suposta fonte de lavagem de dinheiro.

A ação acontece apenas um dia após uma série de protestos contra o SOPA, projeto de lei que pode colocar em risco a liberdade de expressão na internet. O Megaupload é um dos 15 sites mais populares do mundo. Em nota à Associated Press, um representante da página se limitou a dizer que “a grande maioria do tráfego do Megaupload é legítimo e se a indústria de conteúdo quer tirar vantagem da nossa popularidade, teremos o maior prazer em dialogar”.